A jornalista Sandra Annenberg. (Foto: Reprodução/Globo)
Na Globo desde os anos 80, quando entrou para o canal como atriz de séries e novelas, Sandra Annenberg conseguiu fazer muito bem a transição para o jornalismo no canal, até se tornar um dos nomes mais influentes da emissora no quesito.

“Se tem uma coisa que me orgulho de um tanto é ter sido uma das primeiras mulheres a trilhar esse caminho”, disse ela, sobre ser uma das primeiras mulheres a se firmar no jornalismo diário da Globo, como garota do tempo do Jornal Nacional. Sandra, em seguida, interrompe a fala, emocionada. Após alguns segundos em silêncio, fez um desabafo.
“Eu sou feminista, meu marido é feminista, minha filha é feminista. A Elisa vai fazer 15 anos e espero que ela nunca passe por isso, porque eu me vejo com 15 anos sofrendo assédio sexual. É uma das coisas mais humilhantes para a mulher, é constrangedor. É como se você tivesse que pedir desculpas por ser mulher”.
E ela tocou num ponto importante sobre o mercado profissional: “Sempre houve desigualdade de salários, não só na nossa profissão, mas em todas”, afirma ela, que diz não saber se recebe o mesmo salário dos seus pares homens.
E acrescentou: “Não sei dos salários dos meus colegas, se ganho mais ou menos que um homem na minha posição. Hoje quem esta ao meu lado é o Dony [De Nuccio, que apresenta o “JH” desde o ano passado], mas ele acabou de chegar, eu tenho 20 anos nessa bancada”, disse ela.
E finalizou: “Quero continuar falando de temas e assuntos que não podemos jogar para debaixo do tapete. Estamos vendo as mulheres de Hollywood denunciar e eu apoio todos os movimentos”, afirma ela.
A lógica de Sandra ganhar bem mais do que Donny faz muito sentido, mesmo eles tendo o mesmo posto no canal, uma vez que ela é veterana e já deve ter tido o seu salário reajustado várias vezes ao longo desses anos. Isso sem falar que sua imagem agrega muito valor ao jornal, muito mais do que a imagem de Donny, que um ano atrás era um mero desconhecido na TV aberta.
Exemplo parecido certamente ocorreu recentemente na novela das seis, Tempo de Amar. Sem dúvidas, Tony Ramos foi muito melhor remunerado do que os protagonistas da trama, Vitória Strada e Bruno Cabrerizo, novatos na TV.
Com informações do Uol e TVFoco.