ELE É INVESTIGADO POR CAIXA 2: Ministro-chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni afirmou que o decreto da posse de armas sai na próxima semana - Fofoca no ar!

[Fechar]

Prefeitura-01

Notícias Recentes

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

ELE É INVESTIGADO POR CAIXA 2: Ministro-chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni afirmou que o decreto da posse de armas sai na próxima semana

Foto: Reprodução
Olá meus fofoqueiros e minhas fofoqueiras de plantão, primeiro que sou contra o uso de arma e troca a posse de arma.

Não muda um país colocando armas na mão da população, penso que existe políticas melhores para se trabalhar para acabar com o crime do que usar da força.

Mas para o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni que é investigando por supostamente ter recebido dinheiro de Caixa 2, olha que ele  se diz está em um governo sem corrupção,  afirmou nesta terça-feira (8) em entrevista à TV Globo que o decreto que flexibiliza a posse de armas será editado até a próxima semana.

 Segundo o ministro, o assunto foi tratado na segunda reunião ministerial, que aconteceu nesta terça no Palácio do Planalto. Bolsonaro pretende, por meio de decreto, garantir posse de armas de fogo a cidadão sem antecedentes criminais.

O presidente Jair Bolsonaro reuniu no Palácio do Planalto o Conselho de Governo, formado por ele, pelo vice-presidente Hamilton Mourão e por todos os ministros de Estado. A reunião começou por volta das 9h e terminou pouco antes do meio-dia.
De acordo com Onyx, o presidente tem pressa no decreto das armas porque é "um compromisso" de campanha. "Promessa feita é promessa cumprida", disse o ministro.

 Quando ainda era candidato, Bolsonaro afirmou em seu plano de governo que pretendia reformular o Estatuto do Desarmamento.
Na reunião desta terça, o presidente falou, ainda, em "materializar" outras promessas de campanha, segundo Onyx. Ele também voltou a falar sobre a "indústria de multas ambientais" e a desburocratização do serviço público.
'Indústria de multas'

 No final do ano passado, antes de tomar posse como presidente, Bolsonaro disse que queria acabar com a "festa" de multas no Ibama.

 "Não vou mais admitir o Ibama sair multando a torto e a direito por aí, bem como o ICMbio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade]. Essa festa vai acabar", afirmou na ocasião.


Fonte: G1