O Tribunal de Justiça da Bahia suspendeu a greve dos profissionais da educação do município de Eunápolis. A decisão veio do desembargador Maurício Kertzman que deferiu em favor da Ação Declaratória de Ilegalidade de Greve movida pela Prefeitura de Eunápolis em desfavor do sindicato APLB. Segundo a decisão, fica suspensa a greve dos professores de Eunápolis sob pena de multa diária de R$ 10.000 (dez mil reais).


Em reunião com APLB no último dia 11/03, o prefeito Robério Oliveira apresentou situação das finanças da educação e a impossibilidade de conceder o reajuste solicitado pela classe, oferecendo um reajuste de 4,31%, o que aumentaria o piso salarial de Eunápolis para R$ 3.512,72, se mantendo superior ao piso salarial nacional que hoje é de R$ 2.886,24.