Felipe Neto foi um dos telespectadores do Jornal Nacional na última sexta-feira (24). A edição foi marcada pelos desdobramentos da demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça e das acusações do ex-juiz ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com provas reveladas com exclusividade pela Globo.
No Twitter, o famoso apostou no fim do governo com as revelações: “Já era, Bolsonaro. Agora já era!”. “Moro mostrou as provas: Bolsonaro pedindo a demissão do Diretor Geral da Polícia Federal por investigações a deputados bolsonaristas; Carla Zambelli oferecendo cargo no STF em troca dele continuar como Ministro e ele negando. É o fim deste governo. Não há saída”, garantiu.
Em meio ao caos político em Brasília, armado pelo pronunciamento do então ministro da Justiça e alimentado pelo discurso do Chefe do Executivo, Felipe foi enfático: “Esse 24/04 foi um dos dias mais longos da história do Brasil”.
Na rede social, o empresário cutucou Bolsonaro com um possível impeachment, já especulado em vários setores da sociedade. “Vai ser maneiro quando o Mourão assumir, a capa do Meia Hora com a frase gigante: ‘Presidente Novíssimo'”, provocou.
As provas veiculadas no telejornal da Globo exibiu trechos de uma conversa entre o ex-juiz da Lava Jato e a deputado federal Carla Zambelli (PSL-SP). A parlamentar, implorando para que Moro não saísse do cargo, disse que o ajudaria em uma possível conversa com Bolsonaro visando uma vaga no STF. “Prezada, não estou à venda”, respondeu o ex-ministro.

Fonte: RD1