A cantora gaúcha Luísa Sonza (FOTO; Reprodução)
Em 2018, durante o período de eleições, a cantora Luísa Sonza se recusou a pegar o mesmo voo de Bolsonaro. Entretanto, dois anos após o ocorrido, o filho de Jair, saiu em defesa do pai.
Eduardo Bolsonaro, por sua vez, comentou sobre ás ultimas notícias sobre a cantora, que está sendo processada por racismo. O deputado juntou os dois ocorridos e falou: “Alguém aí tem um jegue para vender?”

RELEMBRE O CASO ABAIXO

A advogada envolvida na polêmica com Luisa Sonza, Isabel Macedo explicou ao Portal Notícia Preta exatamente o que aconteceu sobre o incidente com a gaúcha: “Ao voltar do banheiro fiquei próxima do palco para ouvir a música. Era meu aniversário, eu tinha viajado sozinha e estava dançando, me divertindo e aproveitando a festa. Por um acaso parei atrás da Luísa. No evento tinham vários famosos, mas nem sabia quem era ela. Nunca tinha ouvido falar. Foi então que ela virou, bateu no meu ombro e disse “Pega um copo d’água pra mim?’. Eu respondi que não  tinha entendido, ela repetiu a frase e completou ‘Você não trabalha aqui?’”.
Após a indagação da cantora a advogada questionou o por que de Luísa Sonza supor que ela trabalhasse servindo as pessoas na festa. Segundo a advogada, foi então que Luísa disse ‘Não é isso que você está pensando’. 
Na hora eu disse a ela que ela nunca sentiria o que eu estava sentindo, pois ela nunca seria confundida com as pessoas que servem nas festas que ela frequenta. Não é demérito algum ser empregada, eu mesma já fui doméstica, a questão é por que a branquitude sempre nos enxerga nessa posição de serviçal? Por que nos entendem como pessoas que só podem servi-los mas nunca como pessoas que podem consumir, viver e viajar como eles?”, questionou Isabel.
Isabel afirma também que nunca tornou o caso público por não querer visibilidade e sim justiça: “Eu acionei o judiciário para que ela pague pelo que fez e entenda que isso não pode se repetir. A minha intenção com a ação é que isso tenha um caráter pedagógico, embora não tenhamos obrigação alguma de ensinar nada ao branco. Minha intenção com essa ação é que ela aprenda. Não quero e nem vou me expor na mídia, pois sei que o sistema racista, muitas vezes, coloca a vítima no lugar de culpada e oportunista, e isso também é uma atitude racista. Racismo não é vitimismo, é crime”.
A assessoria de Luísa Sonza, por sua vez, nega as acusações e diz que se trata de oportunismo pelo momento profissional que a cantora está vivendo.
A assessoria jurídica da artista Luísa Sonza, através do seu advogado José Estavam Macedo Lima, vem a público informar que tomou conhecimento do referido processo pela mídia. Que a cantora até a presente data não foi citada de nenhuma ação que venha a lhe imputar o fato que está sendo noticiado. Que as acusações são falsas, inverídicas e vêm em um momento oportunista em razão do crescimento exponencial da carreira da artista. Informa, ainda, que nunca ofendeu ou discriminou qualquer pessoa.

Fonte: UOL