Luxemburgo anuncia pré-candidatura e aumenta lista do futebol na política


O técnico Vanderlei Luxemburgo oficializou na última quarta-feira, 29, a sua pré-candidatura ao Senado pelo estado do Tocantins. Filiado ao PSB (Partido Socialista Brasileiro), que apoia o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Luxa já havia manifestado em abril, em entrevista ao jornal Metrópoles, que ingressaria na política para o pleito deste ano. Ele não dirige um time desde a saída do Cruzeiro, em dezembro do último ano, após a aquisição da SAF por Ronaldo Fenômeno.

Luxa se junta a uma série de personalidades do futebol que ingressaram na política. Entre os mais conhecidos estão os ex-atacantes Romário (PL), eleito como deputado federal e senador pelo Rio de Janeiro, e Bebeto (PSD), deputado estadual pelo Rio de Janeiro. A lista ainda tem nomes recentes como Washington “Coração Valente”, Marcelinho Carioca, Túlio Maravilha, Jardel e Danrlei.

“Aqui é terra de oportunidades e gente trabalhadora, Deus privilegiou o nosso estado com a sua natureza e com grandes potencialidades, mas alguns fatos tem nos envergonhado perante ao nosso país. Política é política, não tem isso de velha ou nova. O que temos que acabar são as velhas práticas políticas que vemos no nosso Tocantins”, diz o treinador em parte do vídeo institucional.

Para oficializar a candidatura, ele ainda usa uma antiga frase que popularizou nas entrevistas coletivas enquanto treinador: “o medo de perder tira a vontade de ganhar”.


“Não posso aceitar isso, nós também podemos ser vencedores como outros estados do Brasil. O medo de perder tira a vontade de ganhar. Eu sou o Luxemburgo, pré-candidato ao Senado, mas podem me chamar de Luxa”, completa.


No vídeo de 1 minuto e 39 segundos de duração, ele inicia dizendo que ‘o futebol salvou sua vida’ e narra grandes momentos vividos na carreira como treinador. No material, são utilizadas fotos trabalhando por Corinthians, Santos, Vasco, Flamengo e Real Madrid, além de momentos com astros como Zinedine Zidane e Ronaldo Fenômeno. Ele ainda justifica a escolha por Tocantins:

“Tenho relação com o Tocantins há 18 anos e venho andando nos municípios, conversando com as pessoas, conhecendo suas dores e anseios. A minha aliança é com o povo, de mim não esperem promessas, mas comprometimento. Agora convoco vocês para um grande projeto que já nasce vencedor. Vamos juntos, Tocantins é o nosso time”, conclui.



Natural de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, Luxa conta viver atualmente no Tocantins, onde é dono da filial da TV Record no estado.

Em outubro de 2021, ainda como técnico do Cruzeiro, em entrevista ao podcast Mano a Mano, comandado pelo rapper Mano Brown, o treinador explicou que a origem de seu sobrenome, uma homenagem de seu avô à filósofa Rosa Luxemburgo, conhecida pela militância revolucionária e considerada a dirigente marxista mais importante da história.

“Meu pai era gráfico e minha mãe, do lar. Meu pai era gráfico e foi foragido por causa da ditadura. Meu pai era gráfico e fazia gráficas que não eram legais, clandestinas. Então, trabalhava ali, trabalhava aqui, ele foi gráfico da Manchete durante muitos anos. Com a ditadura, ele largou e foi participar disso aí também (oposição). E vem aí a origem do nome da minha mãe. Manoel Correia da Silva e Guiomar Correia da Silva são os nomes dos meus avós. Nenhum tio meu, que eram 11, tinham Luxemburgo no nome, porque meus avós não tinham”, disse na ocasião.


“Meu avô era torneiro mecânico e foi foragido também. E foi morar em Tinguá-RJ. Ele era um cara muito inteligente e leu um livro da marxista Rosa Luxemburgo. Ele colocou o nome da minha mãe de Rosa Luxemburgo em homenagem à marxista Rosa Luxemburgo. E daí para a frente passou a ter o Luxemburgo e eu passei a carregar comigo, com minhas filhas, meus netos, todos carregam Luxemburgo porque eu acho que o meu avô foi muito feliz em homenagear uma marxista que foi uma mulher guerreira, que acrescentou muito ao mundo, não foi para o país dela, a Polônia, foi para o mundo. Ela foi muito importante porque ela brigou muito, guerreou muito, guerras duras, ela foi mulher guerreira mesmo, é reconhecida como uma das mulheres mais importantes do mundo”, acrescentou.

Aos 70 anos, Luxemburgo iniciou como treinador na década de 1980. Ele ganhou notoriedade após o trabalho a frente do Bragantino, entre 1989 e 1990. Depois disso, enfileirou títulos por Palmeiras, Corinthians, Santos, Cruzeiro, Flamengo e outros grandes clubes do país. Também se orgulha por ter dirigido o Real Madrid em 2005.


Fonte: placar/abril

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.