Para quê estética, quando o interior da cidade está se afundando na lama? Prefeita Cordélia Torres não se cansa de tentar maquiar a cidade com obras pouco necessárias




Todo e qualquer cidadão tem visto com tristeza a maneira que o grupo dapezista tem destruído o nosso município. Em todos os setores existe um colapso: na saúde falta praticamente tudo; na educação está decidido em assembleia se haverá greve geral, e desta forma 100% dos alunos ficarão sem aulas. E tudo isto ocorre pelo fato de que a prefeita de Eunápolis não quer cumprir a lei que determina o percentual do piso salarial dos educadores.

No ano de 2021, houve uma mobilização municipal tanto nas ruas, quanto nas redes sociais para que a prefeita não desativasse a nossa policlínica. A princípio, a gestão mentiu, e tentou tranquilizar os usuários do SUS que aquela mudança estava ocorrendo para iniciar uma reforma, e que Eunápolis ganharia um presentão no Natal. A todo instante isto nos pareceu estranho, pois a Policlínica tinha pouco mais de dois anos de uso, e não necessitava de reforma alguma.

Porém, as dúvidas trouxeram à tona uma realidade ainda mais cruel, pois a Policlínica estava prestes a ser concedida a uma entidade particular. Mas após muitos protestos, a câmara derrubou o projeto da prefeita. No entanto, os pacientes e médicos ficaram amontoados em locais inadequados para o atendimento.

Mais uma vez a prefeita inaugura um “ambulatório de especialidades”, onde nem mesmo o povo foi informado o que será realizado no local. E para quê gastar milhões de reais para reformar um prédio que estava com sua estrutura 100% reformada pelo ex-prefeito Robério Oliveira? Para simplesmente tirar do bairro Pequi a secretaria de saúde e enviá-la ao centro da cidade e situar em um luxuoso hotel!

Enquanto milhares de alunos estão sendo prejudicados com a falta de aula nas escolas, a prefeita se prende a fazer lives desagradáveis, para proferir, segundo o que a APLB sindicato informa, ser um pacote de MENTIRAS. Cordélia deve tomar ciência de que os alunos de Eunápolis querem ser alfabetizados e não apenas possuir a quarta série, como alegou um ex-prefeito que passou por Eunápolis e deixou um rastro de destruição e maldade ao não pagar o salário dos professores.

Para finalizarmos, a prefeita Cordélia enviou a câmara um projeto de lei extinguindo o cargo de professor nível 1. Agora caberá a câmara de vereadores aprovar o rejeitar tal projeto. 

Fonte: Leitura do Dia\ Foto: Rota51

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.