Professores de Eunápolis promovem mais uma paralisação geral, acampam na porta do gabinete da prefeita Cordélia e são recebidos com truculência e violencia

 


O ano de 2022 para os/as estudantes eunapolitanos da Rede Pública Municipal de Ensino e também para os Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação, ficará em suas histórias de vida, como o ano do desrespeito e do descaso por parte da atual gestão



A Greve Geral, que completa 183 dias, os prejuízos são incalculáveis, tanto para os estudantes quanto para os Trabalhadores/as, as causas desse impasse sem precedentes na História do Brasil, se iniciam no começo da atual gestão, que não primou pela gestão democrática e pelo respeito ao diálogo com a Entidade Sindical que representa centenas de Trabalhadores/as.

Esse descaso, permeado de ações anti-democráticas e, por muitas vezes, truculentas, desencadeou esse caos e submeteu todos os agentes do processo de Ensino -aprendizagem à uma situação humilhante e de total abandono parte do Poder Executivo Municipal de Eunápolis.

Vale ressaltar que, por parte da APLB Sindicato, os esforços para sentar e negociar tem sido constante e incansável. Spray de pimenta, murros, solavancos e chutes foram desferidos contra os professores em EunápolisA professora que foi vítima de uma agressão com Spray de pimenta, está gestante. Fonte: Leitura do Dia

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.